Dia #30 – O regresso!

Acordámos ás 3h45 e ás 5h da manhã estávamos a chegar ao aeroporto, hora a que fechava o check-in supostamente, apesar de ir já de bilhete na mão embora com um feeling de que seria indiferente e quando chegámos, vimos uma fila gigante, de perder de vista, que saia fora do aeroporto. É a fila única para o check-in. Antes do check-in tive que ir pagar a taxa de aeroporto a um “guiché” que fica na parte de fora. São 18€ e se não os pagarmos não podemos sair do pais. Continuar a ler

Anúncios

Dia #29

O meu 29º dia em São Tomé. Naquela manhã, quando acordei, não queria acreditar que já se tinha passado um mês desde que chegara e que faltava apenas um dia para ir embora. Se os primeiros dias foram tão díficieis de passar e parecia que o tempo não passava, depressa percebi que isso era um engano porque à medida que me ia adaptando e habituando os dias pareciam ter 5 horas e todo o tempo que tinha para aproveitar parecia muito pouco para tudo o que ainda havia para fazer. Continuar a ler

Dia #28

Quarta-feira supostamente era o último dia que dava aulas de informática. A primeira turma iria fazer um teste/trabalho final de PowerPoint para finalizar o curso de informática e com a turma seguinte continuava a dar matéria à qual o Hermitério depois dava seguimento. Comecei muito bem o teste, embora só me tenham aparecido dois alunos e cada um tenha ido à sua hora…..”leve-leve”…mas eis se não quando falha a electricidade outra vez…..pois é, dar aulas de informática nestas condições não é mesmo tarefa fácil e o inesperado pode acontecer. Ficámos com o teste a meio mas tinha acompanhado o percurso deles e vi que já se sentiam bastante à vontade com o programa por isso achei que os devia passar com êxito e eles ficaram todos contentes mas com a promessa de continuar a praticar! Mas disse, que, embora seja díficil para alguns pq nem todos teem acesso ao computador, devem que continuar a praticar porque é tudo uma questão de prática e experimentar muito, nestas coisas. Continuar a ler

Dia #26

Segunda-feira, como estava previsto desde a minha chegada a S.Tomé, foi dia de irmos passear ao Ilhéu das Rolas.

A partida estava prevista para as 7h da manhã e apesar de nós portugueses sermos famosos por chegar smp em cima da hora ou mesmo atrasados a todo o lado, os Santomenses ganham-nos a milhas de distancia nesse parâmetro! É como em tudo – leve-leve –  e quando chegarem chegam, sem pressa para nada! Tivemos que dar o desconto ás crianças que vinham das Roças porque como estão de férias, muitos deles deslocam-se para mais longe e normalmente fazem-se ao caminho a pé por isso houve quem fizesse 7 klm nessa manhã para conseguir estar entre as 6h30 e 7h à porta de nossa casa e admitimos que não é fácil. Pontualidade tb não é com os motoristas. Continuar a ler

Domingo, dia 22 de Julho

Agostinho Neto está em festa!

 São as festas de Nossa Senhora do Carmo, a padroeira desta zona do distrito de Lobata, a que eles chamam de “empresa”. (Já foi em tempos, é um facto). Agostinho Neto era uma das principais Roças de São Tomé e tinha um dos melhores hospitais de África, o qual esteve em funcionamento até há cerca de seis anos atrás. É de lamentar porque bastou a Cooperação Portuguesa ir embora para aquilo ficar completamente ao abandono pois tem ou teve umas condições óptimas. Continuar a ler

Dia #21

Hoje para não variar acordei ás 6h da manhã e o pior nem é isso mas sim a maneira como acordo…que é com o barulho de camiões a passar e táxis a largar pessoal para as obras em frente a casa (onde estão a construir uma bomba da Sonangol – o que devia ser proibido pq fica literalmente colada ao bar “Studio Bananafish” e à frente de nossa casa, por isso a vizinhança das irmãs e o barulho à volta de casa vai ser ainda pior), ou a pegar no que vai trabalhar para outras cidades ou com gritaria por causa da água e ou com música aos berros muitas vezes. Continuar a ler

Dia #20

Hoje retomei as minhas aulas de informática. Estive a fazer uma apresentação sobre São Tomé com os de Power Point e iniciei o programa do Word com as outras “piquenas”. Como não vamos ter muitas aulas há que acelerar o processo mas elas só querem jogar e fazer desenhos no Word (já lhes expliquei que não é essa a principal função do programa)….enfim…leve-leve, vai-se lá!:) Continuar a ler